Estávamos em Março de 2020. No espaço de poucas semanas a vida mudou por causa do Corona vírus. De certo modo o ritmo abrandou pelo simples facto de já não podermos fazer as coisas da forma habitual. Muitos recomendaram que aproveitássemos este tempo para reflectir. Mas este não é um exercício fácil de se fazer a solo, sem ferramentas e orientação. Assim, para o(a) apoiar nessa reflexão decidi durante 8 semanas publicar nas redes sociais um exercício semanal.

Foram muitos os que se lançaram aos desafios e com a aprendizagem que fiz com as diversas partilhas, decidi sintetizar em duas partes os 8 exercícios lançados. Deste modo qualquer pessoa que esteja insatisfeito com a sua situação actual e/ou a ponderar uma mudança, terá aqui um ponto de partida para a sua reflexão. Desta forma poderá angariar critérios e insights que o(a) ajudem a progredir na obtenção das suas respostas.

Para tirar o máximo partido destes desafios, recomendo que:

– Registe todas as suas reflexões num diário ou caderno onde possa ir navegando entre as respostas que vai coleccionando, tal qual como se fossem as peças de um puzzle.

– Realize os exercícios pela sequência proposta.

– Realize um exercício por dia ou um exercício a cada dois dias. O tempo máximo recomendado entre exercícios é de uma semana para não perder o fio à meada!

Exercício 1

Reflicta nos últimos 10 anos da sua existência. Faça um registo gráfico da mesma (eixo horizontal = tempo, eixo vertical = nível de entusiasmo de 0 a 10).

  1. Assinale apenas os eventos mais marcantes.
  2. Descreva para cada um deles o que fez, com quem e onde.
  3. Identifique aqueles de que mais se orgulha e porquê.
  4. Identifique aqueles de que menos se orgulha e porquê.

O que este exercício lhe permitiu compreender sobre si próprio(a)? Escreva as suas conclusões.

Exercício 2

“Se queremos progredir, não devemos repetir a história, mas fazer uma história nova.” Mahatma Gandhi

Criar uma história nova, implica fazer coisas diferentes e nem sempre é fácil identificar o quê!

Muito mais fácil é identificar o que não queremos, porque o fazemos com base em experiências que já tivemos e conseguimos antever o resultado. Então comecemos por aí:

  1. Reflicta e descreva o que não quer na sua vida profissional.
  2. Transforme cada um dos tópicos ‘daquilo que não quer’, numa afirmação que traduza de algum modo o que quer.

Inspire-se no seguinte exemplo:

  1. ‘Não quero ter um trabalho rotineiro em que todos os dias faço ‘mais do mesmo’. O qual se pode transformar na seguinte afirmação:
  2. ‘Quero trabalhar numa lógica de projectos, na qual tenho espaço para uma aprendizagem contínua sobre diversos temas’.

Agora é a sua vez…

Aprofunde este tema, escutando o episódio 9 do Podcast ‘Quero, Posso e Mudo de Carreira’ – Parte 1 e Parte 2

Exercício 3

Qualquer pessoa em algum momento da sua vida já deu por si a imaginar o estilo de vida ideal, leia-se, aquele que teria não havendo condicionantes financeiras! Quando pensamos desta forma, tendemos a ganhar autenticidade e a deixar vir ao de cima aspirações importantes. Assim, responda objetivamente às seguintes questões:

  1. Onde vive?
  2. O que faz?
  3. Como são as pessoas com quem trabalha?
  4. Como inicia os seus dias?
  5. Quanto ganha por mês? Para quê?
  6. Quanto poupa por mês? Para quê?
  7. Como é a sua saúde?

Agora responda às mesmas perguntas para aquele que tem sido até aqui o seu dia habitual.

Face ao seu dia ideal, o que se mantém? O que se altera?

Com base neste exercício e nos dois anteriores, o que entende que deve mudar/fazer para atenuar as ‘distâncias’? Registe todas as suas conclusões e decisões.

Exercício 4

A reflexão sobre nós próprios é um grande desafio, como já se deve ter apercebido se realizou os 3 exercícios anteriores. Agora, para lhe facilitar a vida venho desafiá-lo(a) a um exercício de feedback junto de outros:

  1. Seleccione pelo menos 5 pessoas com as quais já trabalhou ou estudou e que sejam capazes de ser frontais consigo.
  2. Peça-lhes feedback escrito sobre os seguintes pontos:
    1. 2 forças e em que situações concretas fizeram a diferença.
    2. 1 aspecto crítico que o (a) bloqueia e em que situações concretas o identificou.
    3. O que o(a) vêem a fazer profissionalmente no futuro?
  3. Faça o balanço: o que têm os feedbacks em comum? Do que tomou consciência? Que insights possibilitadores surgiram?

Este desafio é muito impactante. Faça-o, vai ver que vale mesmo a pena!

Exercício 5

Com os 4 exercícios acima enunciados, é provável que tenha conseguido apurar:

  1. Critérios de autogestão aos quais deverá manter-se atento(a) para evitar recorrências indesejadas,
  2. Aspectos que valoriza nos contextos de trabalho e portanto relevantes na hora de avaliar novas oportunidades de trabalho que lhe surjam,
  3. O estilo de vida que ambiciona e que pode e deve servir de referência ao construir o seu plano profissional de futuro,
  4. Alguns insights sobre possibilidades de futuro.

Agora é tempo de consolidação:

  1. Construa uma lista que contemple numa única página as suas respostas aos 4 tópicos anteriores.
  2. Terminada a sua lista, observe-a. Aperceba-se da reação fisiológica que lhe provoca. Registe as suas conclusões.

Será que começa a vislumbrar a imagem do seu puzzle de vida profissional?

Apenas após esta consolidação fará sentido progredir para os restantes exercícios. Se sente que as respostas estão vagas, volte atrás, repita o exercício, complemente as respostas. Pode até partilhar com alguém da sua confiança o output a que chegou. Muitas vezes surgem novas perspectivas pelo simples exercício de partilha com outros.

Se quiser partilhe comigo as suas descobertas.